Vou dizer uma coisa só para vocês: o Campeão voltou, sim

Mayara Rufino | @capitolinda

O Brasil dependia apenas de si e fez o que tinha que fazer: vencer os italianos na casa deles. Foto: FIVB

Nunca assinei um texto com tanta vontade como hoje. Como escrevi na crônica anterior – que afirmava que o Mario Jr. não é problema da seleção -, não postei sobre a vitória do Brasil antes por motivo de: não tenho estrutura para tanta emoção. Preciso rever a partida e organizar as ideias. Então: o Brasil venceu duas partidas – na casa do adversário e bem, e que adversário – e se classificou para a fase final da Liga Mundial. Mas meninas e meninos, isso foi bem mais que uma vitória fora de casa em cima da Itália e um avanço no campeonato. Vamos analisar de novo: na primeira fase, em casa, o Brasil perdeu quatro das seis partidas que disputou, sendo duas derrotas para a Itália. A mesma Itália que enfrentou – e venceu – nesse final de semana com ginásio lotado, com os titulares que estavam poupados das últimas partidas – afinal, disputou os jogos contra o primeiro colocado Irã e contra a Polônia com os reservas, numa tentativa clara de deixar o Brasil pela primeira vez em 23 anos fora da fase final da Liga. Mas não deu certo. Além da vitória moral contra a Itália, o Brasil jogou para a lanterna – e consequentemente, para fora da última etapa com campeonato, a imponente e apaixonada pelo esporte Polônia.

Sabe o que vi nas duas últimas atuações do Brasil? Vi um grupo unido, com jogadores com confiança em si e nos colegas. Vi o Wallace de clube. Vi cobertura. Vi Murilo, Lucarelli e – sim, pasmem! – Mario Jr. chegando na bola. Vi bloqueio e não só dos centrais. Vi um Bruno – que andava apagado em quadra, sim – cheio de gás e raça, assim como sempre foi. Vi, por sinal, uma defesa sensacional do Bruno com o pé.

Independente de pódio, o que Bernardinho fez com esse grupo – totalmente desacreditado na primeira fase, que teve as primeiras partidas transmitidas pela Rede Globo, antes de começar uma Copa, com uma chuva de críticas em cima deles… é louvável. Na verdade, não tenho palavras. A seleção que eu vi no final de semana em quadra, com a pressão toda em cima dela, com a torcida rival em peso no ginásio vaiando saque… realmente não tenho palavras. E nos deixar sem palavras, depois de tudo o que aconteceu, é coisa de campeão. Colocar a cabeça no lugar e não se abater diante das dificuldades é coisa de campeão. É, Zaitsev, sinto lhe dizer, mas o campeão voltou. Meninos e meninas, independente de ser deca ou não, essa seleção é campeã. Ah, não que eu não queira o deca (pode vir sim, deca! Nós te desejamos!). Mas estou falando só para vocês, bem baixinho, para ninguém escutar.

Campanha da Seleção na Liga Mundial 

Brasil 1 x 3
Itália Brasil
1 x 3 Itália
Brasil 3 x 0 Polônia
Brasil 0 x 3 Polônia
Brasil 3 x 2 Irã
Brasil 0 x 3 Irã
Irã 3 x 2 Brasil
Irã 2 x 3 Brasil
Polônia 3 x 1 Brasil
Polônia 0 x 3 Brasil
Itália 1 x 3 Brasil
Itália 1 x 3 Brasil

Captura de tela 2015-08-15 00.48.02

Publicado por Mayara Rufino

tt

pinte

insta

fb

 

Nasci Mayara, mas pode me chamar de Capitolinda. Sou formada em Jornalismo, faço pós em Literaturas Portuguesa e Africanas, e apesar de ser sedentária e das letras, sou apaixonada por vôlei.

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s