Ninguém segura o Sada Cruzeiro!

Mayara Rufino | @capitolinda

Sada Cruzeiro repete o feito de dois anos atrás e bate o UPCN na final. Foto: Renato Araújo/ Sada Cruzeiro
Sada Cruzeiro repete o feito de dois anos atrás e bate o UPCN na final. Foto: Renato Araújo/ Sada Cruzeiro

Mundial de Clubes, Sul-Americano de Clubes, Copa Brasil de Vôlei e Campeonato Mineiro. Tudo isso em uma temporada. Ah, e como se não fosse muito, os celestes lideram a atual Superliga Masculina. É tudo deles: estadual, nacional, continental e mundial. São 11 títulos em 14 finais. 11 títulos em quatro anos. Quase ninguém segura o Sada Cruzeiro. Nem o UPCN, que na edição passada venceu o dono da casa, Vivo Minas, na final – e dessa vez nas semifinais, também na Arena JK, antiga Arena Vivo.

É, não deu para o argentino UPCN. Não dessa vez. Nem rolou a tão desejada final brasileira/ mineira. Mas foi um jogão com destaque para os cubanos – de mentira e de verdade, respectivamente –  Wallace e Leal. Aliás, perdi as contas de quantos aces Leal fez na partida. Estava comemorando. O mago – William – e o rei – Filipe – também tiveram seus grandes momentos na partida. O grande Isac, quando entrou, fez a diferença: o celeste vinha perdendo com dois sets para os argentinos e o central trouxe gás para a virada da equipe – quase – da casa.

Do outro lado da rede, o destaque ficou com o também brasileiro e oposto, Theo. A partida teve, sim, um argentino como destaque: Marcelo Mendez, técnico do time de Contagem. O técnico celeste levou para casa seu 16º troféu – em 20 finais disputadas.

A bi campeonato cruzeirense se deu por 3 sets a 2, de virada (parciais de 23/25, 23/25, 25/20, 25/19 e 18/16).

Wallace é, novamente, eleito melhor jogador de um campeonato. Dessa vez, do Sul-Americano de Clubes. Foto: Orlando Bento/ MTC

– A gente não desiste de jeito nenhum, disse o oposto Wallace após a partida. E valeu a pena: saiu do ginásio com o prêmio de melhor jogador do torneio e o de melhor oposto.

O jogo foi dramático: após empatarem o 4º set, levarem a partida para o tie-break e com diferença de 6 pontos no set decisivo, o Sada Cruzeiro viu o time argentino encostar no placar, chegando a um 16 a 16. No terceiro match point a equipe mineira fechou o set em 18 a 16.

Minas vence o Boca Juniors e fica em 3º lugar 

Minas garantiu o bronze no campeonato. Foto: Orlando Bento/ MTC

Como já dissemos, infelizmente, não houve uma final brasileira em casa no Sul-Americano de Clubes 2014. Mas aconteceram duas vitórias dos dois únicos representantes do país na tarde/ noite de ontem (24).

O Vivo/ Minas parou nas semifinais diante do UPCN, seu algoz na edição passada, com uma partida com 3 sets a 0 – favoráveis ao visitante. Os minatenistas, novamente, foram parados pelos hermanos.

A vitória foi no dia seguinte, diante do Boca Juniors, também da Argentina, em jogo relativamente fácil, por 3 a 0. Mas teve gosto amargo.

“Esse o jogo foi bom e até tranquilo, mas a competição não foi boa porque o nosso objetivo era chegar até a final e ser campeão. Tivemos muitos altos e baixos na semifinal, mas que sirva de aprendizado para a continuação da Superliga que já temos na semana que vem e em seguida começam os playoffs”, disse o levantador Marcelinho.

O ponteiro minatenista Rapha ganhou um dos prêmios de melhor ponteiro da competição junto com Leal, da equipe celeste. O oposto do Sada Cruzeiro Wallace levou o da sua posição. Os centrais premiados foram Isac, do Sada, e Ramos, do UPCN. O melhor levantador e líbero eleitos foram do UPCN: Gonzalez e Garrocq.

Fonte: Sala de Imprensa Minas Tênis Clube/ Sada Cruzeiro 

Captura de tela 2015-08-15 00.48.02

Publicado por Mayara Rufino

tt

pinte

insta

fb

 

Nasci Mayara, mas pode me chamar de Capitolinda. Sou formada em Jornalismo, faço pós em Literaturas Portuguesa e Africanas, e apesar de ser sedentária e das letras, sou apaixonada por vôlei.

Anúncios