As 5 mamães do vôlei que você talvez não conheça, mas precisa conhecer

Mayara Viegas
@relicario

Nesse dia tão especial, o Linha das 5 preparou uma lista mais especial ainda: as 5 mamães do vôlei que você talvez não conheça, mas que precisa conhecer: diferente das outras listas que estão rolando por aí, procuramos as mamães que influenciaram e apoiaram os filhos no esporte. Luz na passarela que lá vêm elas!


1º lugar: Vera Mossa

Bruno, ainda adolescente, e a mãe, Vera Mossa. Foto: Arquivo pessoal
Mas é claro que nosso primeiro lugar A B S O L U T O é a mamãe do nosso também A B S O L U T O Bruno Rezende. Hoje, Vera é conhecida no esporte por ser a “mãe do Bruno”, mas já participou de duas Olimpíadas – quando se tornou musa – e de um filme, na década de 80. Foi nessa época que, separada do primeiro marido, começou a namorar Bernardinho, pai de Bruno. Hoje “a mãe de Bruno” vive em no interior de São Paulo, em Campinas, bem longe das quadras e desde sua aposentadoria por lesão em 2000, o mais próximo que chegou do vôlei foi como comentarista do SporTV e recentemente, da TV Record – e através do filho. E se tem uma coisa que incomoda a ex ponteira da Seleção Brasileira é quando justificam o fato de Bruno ter lugar cativo na seleção por privilégio de ser filho de Bernardo: “Fico muito feliz, contente e orgulhosa pelo Bruno estar conseguindo realizar os sonhos de ser jogador profissional e ter uma carreira bacana. Só posso me alegrar ao falarem que sou “a mãe do Bruninho”. A única coisa que me incomoda é quando falam que ele é protegido do pai. Aí eu fico louca. Ele merece muito estar lá, e as pessoas que falam isso não têm noção.”.

2º lugar: Fernanda Venturini

Fernanda e Júlia, na final da Superliga 2011/2012. Foto: Luiz Doro/adorofoto
Nosso segundo lugar é a mãe das irmãs do Bruno: Fernanda Venturini. A Fernanda é ex-levantadora, mulher do Bernardinho e mãe da Júlia e da Vitória. Virou levantadora por recomendação médica aos onze anos para corrigir um problema de escoliose. Seu primeiro título foi sob o comando do marido, no Grand Prix de 1994 e se aposentou recentemente, em abril do ano passado, na final da Superliga 2011/2012 defendendo a equipe Unilever, com derrota para o Sollys/Nestlé, em pleno maracanãzinho: “Não tem como ficar triste. Não posso reclamar de nada. Minha carreira será marcada pelas vitórias e não pelas derrotas. E a minha Vitória está em casa, que é a minha filha.”, brincou. 



3º lugar: Maria Célia


Daniel se declarou em rede social para a mãe no seu dia. Foto: Instagram
Daniel Gramignoli e Mari Paraíba tem mais do que a biologia em comum: a escolha da profissão aconteceu pelo mesmo motivo: a mãe. Os irmãos começaram a jogar ainda crianças, por influencia da mãe, que é técnica de Vôlei. No ano passado, Daniel se declarou no dia das mães: “Feliz Dia das Mães, Mãe! Parabéns, te amo!” e teve como resposta: “Como não se emocionar e poder te dizer o quão és amado e hoje graças a Deus já sentes o amor de um pai por um filho e podes a partir de então nos compreender melhor. Te amo meu… Amarelo!!!” manifestou-se Dona Maria Célia no Facebook. Dona Maria Célia é nosso 3º lugar por além de colocar nada menos que dois jogadores no mercado, por ter colocado o lindo do Daniel no mundo! Parabéns pelo dia, dona Célia! 


4º lugar: Aida dos Santos


Waleskinha e Dona  Aida, sua mãe, ex – atleta. Foto: Alexandre Arruda
Mais uma mãe-exemplo: Aida dos Santos é ex-atleta brasileira, mãe de Valeskinha e tem um instituto para promover a inclusão social por meio do atletismo e do vôlei. Para Valeskinha, sua mãe é um grande exemplo e lembra que ela a colocou para praticar os mais diferentes esportes. “Ela sempre incentivou toda nossa família a praticar esportes. Eu fiz natação, atletismo e acabei seguindo carreira no vôlei. Minha mãe é um exemplo para tudo na minha vida. Sempre que eu tenho uma dificuldade ela me mostra que, na verdade, essa dificuldade não é tão grande”, declara Valeskinha. Dona Aida participou de duas edições dos Jogos Olímpicos: em Tóquio 1964 e na Cidade do México; recebeu o Troféu Adhemar Ferreira da Silva no Prêmio Brasil Olímpico e o Diploma Mundial Mulher e Esporte, uma premiação  do Comitê Olímpico Internacional. 

5º lugar: Xuxa Meneghel 

Sasha foi recentemente convocada para a seleção de praia sub-19 e tem incentivo da mãe, Xuxa.
Foto: xuxastar.blogspot.com.br
O quinto lugar da nossa lista é da Xuxa, porque apesar do sucesso que a apresentadora faz, pouca gente sabe que ela é grande incentivadora da carreira da filha no vôlei. Não é raro ver Xuxa e o pai de Sasha, Luciano Szafir, nas arquibancadas dos ginásios em que a filha joga, prestigiando o Flamengo ou a seleção carioca. A levantadora, de 14 anos, foi convocada para a seleção brasileira feminina sub-19 do vôlei de praia. Parabéns para a mamãe e para a atleta! 
Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s